terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Mandala


Ontem à noite fui à palestra do Lama Santem em Sp.

Ele discorreu por um pouco mais de uma hora sobre "o sentido da vida" sob o ponto de vista das mandalas.

Nossas vidas estão condicionadas pela paisagem que nossa mente está inserida. Cada nova paisagem nos insere em um novo contexto absolutamente diferente do que vivíamos, e novas mandalas se desacortinam.

Muitas vezes me pergunto como cheguei aqui?

Lama Santem falou que a primeira senha para abrir a mandala inicial é perguntar-se: "Como posso ser um ser humano melhor?" "Como posso viver em paz e com felicidade."

A partir desse momento e somente através dessa "senha" abrem-se os portões de uma nova realidade.

Seremos capazes de distinguir nossas prioridades, o que é transitório do que é permamente; e assim caminhar pela vida de modo diferente.

Mas são muito raros os seres humanos que possuem essa chave, muito poucos aqueles que pretendem oferecer algo melhor ao mundo.

Na maioria das vezes vão seguindo pela vida, agora isso, depois aquilo, mais aquilo outro...sem saber qual o sentido...

Mandalas podem ir se abrindo ao infinito, se soubermos fazer as perguntas corretas.

(foto: Mandala tibetana em templo, Bodhgaya, India)

Um comentário:

Carmen Padma Z. disse...

Engraçado como nos preocupamos em atrair para nossa mandala seres que nos atraem e evitar a aproximação daqueles que não nos interessam... e o resultado disso é infelicidade e solidão!
Vejo q vc continua inspirado.
Longa vida ao lama Padma Samten!
Bjs da Carmen.