sexta-feira, 5 de agosto de 2005

Vazio


É difícil explicar o vazio, o conceito é abstrato e raro de compreensão a nós ocidentais.

Damos muito mais valor aquilo que é concreto, palpável, ao que é físico.

Mas o vazio é tema da maioria das tradições orientais, do Budismo, ao Sufismo, até mesmo o Cristianismo fala-se muito sobre o vazio.

Um prato só é um prato porque em seu interior, vazio, podemos colocar os alimentos para nos servir, um vaso é útil, porque em seu vazio depositamos água e flores, e um bom apartamento é caro, porque nos oferece um grande vazio, um grande espaço interno, quanto maior o espaço, mais valorizado.

Portanto é importante observar que é no vazio que se encontra a utilidade dos objetos, das coisas que nos cercam.

No livro do Tao temos: "Aprende a ver o vazio, Ao entrar numa casa vazia, podes sentir a sua atmosfera? Acontece o mesmo com um vaso, ou com um pote; aprende a ver o vazio interior, que é a utilidade do objeto."

E esse vazio não diz respeito apenas as coisas, ele se refere também a nosso eu. Quanto mais vazios, mais úteis poderemos ser, mais valorizados até mesmo pelos outros.
Devemos nos esvaziar de emoções, conceitos de vida, ódio e também dos desejos.
Vazio podemos caminhar livres e responder a cada momento com leveza e espontâneidade.

Vazio, não se tem expectativas sobre a vida. Desenvolve-se, ao contrário, a absoluta confiança no processo, no que está acontecendo.

No início, o vazio dá muito medo de ser nada, de perder absolutamente o controle sobre as coisas, sobre a vida.

Experimentar o vazio é a maior sensação que um ser humano pode alcançar.
Vamos desfazendo nossas defesas, desafiando nossas limitações, rompendo nossos bloqueios e nos esvaziando de todo o lixo que por tanto tempo fomos capazes de carregar. É uma grande sensação de alívio.

A meditação é uma forma de entrar em contato com esse espaço ilimitado em nosso interior, de nos esvair de nossas preocupações, de nossos medos. Manter-se em contato com pessoas agradáveis e positivas é outra forma de desenvolver-se no vazio, evitando conflitos desnecessários, rompantes de emoções perturbadoras. Fazer o trabalho que gostamos é outra maneira; amar é outra.
Todo meio de abandono de si mesmo é um caminho para se contactar com o vazio.

O vazio é um céu claro, limpo, um espaço ilimitado onde podemos respirar.

Nenhum comentário: