domingo, 10 de julho de 2005

Toque de Midas


Certa vez Baco, deus do Vinho, deu por falta de seu pai, Sileno.
Este fora achado por camponeses que o levaram ao Rei Midas que cuidou de Sileno por 10 dias e 10 noites.

No 11o dia, Midas entregou-o são e salvo a Baco. Agradecido Baco ofereceu a Midas um desejo, ao que este lhe pediu que tudo o que tocasse se tornasse ouro.
E assim foi feito.

Midas mal acreditou ao ver um ramo de carvalho se tornar ouro ao ser tocado; segurou uma pedra, esta imediatamente se tornou ouro. Colheu um fruto da macieira e imediatamente fez-se ouro. Sua alegria não conheceu limite, ao chegar em casa feliz ordenou um banquete.

Porém, para sua surpresa, ao se servir também o pão e os alimentos tornavam-se ouro. Tomou um calice de vinho, mas este ao descer por sua garganta desceu como ouro derretido. Horrorizado, lutou para livrar-se daquele poder. Tudo em vão, a morte por inanição parecia aguardá-lo.

Foi quando recorreu a Baco, implorando que o livrasse daquela malévola maldição.
Baco assim consentiu, pedindo a ele que lavasse suas mãos no Rio Patolo, de águas fluídas e correntes, lavando ali sua culpa e castigo.

Dali por diante Midas, odiando a riqueza, passou a habitar o campo, e longe da cidade, cultuar o Deus Pã.

Um dia Pã desafiou Apolo, dizendo que sua música era melhor do que a do Deus da Beleza. Ao que Apolo imediatamente aceitou o desafio elegendo Tmolo (deus da Montanha) como árbitro.

Ao tocar a lira, Apolo foi imediatamente o vencedor da competição, entretanto Midas achou a escolha injusta e disse preferir a música de Pã.
Apolo não tolerou a audácia de Midas, e fez por castigo que suas orelhas crescessem e se tornassem peludas por fora e por dentro. E assim aconteceu.
Midas passou a se envergonhar de suas orelhar grandes e peludas, como as de um asno e passou a escondê-las em um turbante. Guardando segredo.

Acho que temos todos que aprender muito com a estória de Midas, quando estaremos definitivamente satisfeitos com o que temos? Será que realmente nos falta alguma coisa para que possamos nos sentir realizados? E não seriam a grande culpa de Midas o fato dele sempre desejar mais? Devemos ter cuidado com o que pedimos...

Aqui não deixo nenhuma solução pronta, apenas uma boa estória como reflexão!

Adaptação do livro de Thomas Bulfinch em "O LIVRO DE OURO DA MITOLOGIA, Ediouro2000".

Nenhum comentário: